7 dicas para escolher seu azeite. Dica # 5

Novíssimo 8

Dica # 5: Ao contrário da maior parte dos vinhos, o azeite não envelhece bem. Daí uma máxima a ser seguida pelos amantes do óleo de oliva: “azeite bom é azeite novo”. Escolha sempre azeites da safra, com até um ano, portanto, de extração. Com uma nova safra, passe para os azeites novos: eles são frescos e seu aroma e sabor estão em seu ponto mais alto. Algo que você pode experimentar: os azeites da época da colheita. São aqueles produzidos e comercializados apenas durante a época da colheita e da extração e nem são filtrados ou decantados. Por isso, suas qualidades estão mais destacadas que em qualquer outro momento de sua vida. Um senão apenas: como não são filtrados ou decantados, retém resíduos das azeitonas, o que diminuiu sua vida útil, seu prazo de validade. São conhecidos como “novellos”, nas Itália. Em OLIQ, são os “Novíssimos”. Dado seu curto período de vida, de cerca de quatro meses, não são, em OLIQ, comercializados fora do lagar. Os azeites que passam por processo de filtragem ou decantação (os de OLIQ são apenas decantados, para que conservem melhor suas características sensoriais e suas boas propriedades para a saúde), duram mais: em média uma ano e meio, quando fechados. Mas é bom lembrar: começou uma nova safra, passe para os azeites novos e nunca estoque azeites.

Nem sempre é possível saber se o azeite é da safra atual. Muitos azeites comercializados indicam no rótulo apenas a data de envase, de engarrafamento, principalmente aqueles das grandes marcas comerciais. O azeite fica estocado em tanques e, quando os preços se tornam mais altos, são envasados. Então, muitas vezes temos a impressão – confiando na data de envase, de comprar azeite novo, quando na verdade estamos comprando azeite velho. Dê, assim, preferência aos azeites que, no rótulo, indicam também a safra ou a data de produção.

A colheita e extração no Brasil começam em fevereiro e costuma terminar em abril – na região da Mantiqueira. Nos estados do Sul, especialmente no Rio Grande do Sul, começa e termina um pouco mais tarde, com cerca de um mês de diferença. Na Europa, a colheita e a extração ocorrem entre o outono e o início do inverno, dependendo da latitude do país – costuma ir de outubro a janeiro. Por isso muitas vezes a safra é indicada por um intervalo de anos, como, por exemplo, 2015-2016: a safra começou em 2015, mas terminou em 2016. É aquela safra que será consumida na maior parte do ano de 2016.

5

2 Comments Say something

  1. Muito obrigado pelas dicas, eu sempre analiso a acidez , jamais tinha ideia quanto ao envelhecimento, costumo guardar azeites; a partir da vossa informação vou ficar mais atento a este detalhe.

    Um forte e cordial abraço
    Carlos Ortunho Serra
    São José dos Campos SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *